Antônio Vitor
Antônio Vitor

No dia 11 de novembro, entra em vigor a nova lei trabalhista que altera mais de 100 pontos da CLT (Consolidação das Leis  doTrabalho) como divisão de férias e extensão da jornada, além de criar uma categoria de serviço que não existia, o contrato intermitente. Com esta lei, as empresas podem contratar um funcionário para trabalhar esporadicamente e pagá-lo apenas pelo período em que prestou seus serviços.

Esse é um dos inúmeros pontos que serão mudados. Nós, do setor de alimentação analisamos as medidas e constatamos o enorme desafio que teremos pela frente.

A nova lei é perversa para os trabalhadores. Vamos lutar para impedir a retirada de direitos por parte dos empregadores. Faremos isso de diferentes formas de luta: em atos, em protesto, em negociações das convenções coletivas ou em negociações por empresas.

Para nós, o importante será atuar junto com os trabalhadores do nosso setor esclarecendo cada situação para preservarmos os direitos.

Antonio Vítor, presidente da Fetiasp

No dia 11 de novembro, entra em vigor a nova lei trabalhista que altera mais de 100 pontos da CLT (Consolidação das Leis  doTrabalho) como divisão de férias e extensão da jornada, além de criar uma categoria de serviço que não existia, o contrato intermitente. Com esta lei, as empresas podem contratar um funcionário para trabalhar esporadicamente e pagá-lo apenas pelo período em que prestou seus serviços.

Esse é um dos inúmeros pontos que serão mudados. Nós, do setor de alimentação analisamos as medidas e constatamos o enorme desafio que teremos pela frente.

A nova lei é perversa para os trabalhadores. Vamos lutar para impedir a retirada de direitos por parte dos empregadores. Faremos isso de diferentes formas de luta: em atos, em protesto, em negociações das convenções coletivas ou em negociações por empresas.

Para nós, o importante será atuar junto com os trabalhadores do nosso setor esclarecendo cada situação para preservarmos os direitos.

Antonio Vítor, presidente da Fetiasp