Francisco Pereira de Andrade
Francisco Pereira de Andrade

Por que não dar mais espaço para as mulheres no movimento sindical? Pra que cala-las com atitudes machistas que só evidenciarão a ignorância? Perguntas essas que como dirigente sindical me faço diariamente! Nós temos em nossa categoria de hotéis, restaurantes e similares um dado muito importante sobre o assunto: 75% dos postos de trabalho são ocupados por mulheres. Esse número é um reflexo do efeito da evidência da "mulher geração Y" no mercado de trabalho, onde houve nas últimas décadas o ingresso considerável das mulheres na hotelaria e demais setores.

Há anos tenho lutado para valorizar as companheiras. Me lembro que, quando como garçom e maitre em atividade, sempre via o descaso que muitos praticavam quando o assunto era contratar uma garçonete por exemplo. Ninguém aceitava! Vendo isso, em 1985, quando fundamos o Sindicato aclamado por toda categoria que não tinham uma entidade de classe do setor na região, um dos meus objetivos era valorizar a mulher, pois eu enxergava naquela época o grande potencial e a destreza que muitas companheiras desempenhavam de forma tão comprometida suas responsabilidades como dona de casa, esposa, mãe e profissional hoteleira.

Sendo assim, eu me esforço para ser o maior incentivador da valorização e do respeito que essas profissionais devem receber. Prova disso foi uma medida adota nas últimas eleições do sindicato, onde fomos eleitos pela categoria com uma chapa apresentada composta igualitariamente com 50% das mulheres. E não pense você que essas mulheres foram selecionadas com base em "meta de cargos" não, viu! Cada diretora foi eleita pela sua altíssima competência. Nossas diretoras são atuantes, responsáveis e tem ajudado muito o sindicato a crescer. Por isso, falo agora com os companheiros dirigentes: prestemos mais atenção ao nosso redor.

Vamos dar mais espaço às mulheres, não por obrigação, mas pelo reconhecimento verdadeiro de que as companheiras têm muito, mas muito mesmo para acrescentar às entidades sindicais! Aqui no Sechorbs, a mulher tem vez e é valorizada. Minha esperança é de que cada dia mais possamos ter exemplos de lutas conduzidas pelas companheiras. Valorizemos a mulher! Vamos à luta. Deus abençoe!

Francisco Pereira de Andrade, diretor presidente do Sechorbs - Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Restaurantes e Bares de Bauru e Região
 

Por que não dar mais espaço para as mulheres no movimento sindical? Pra que cala-las com atitudes machistas que só evidenciarão a ignorância? Perguntas essas que como dirigente sindical me faço diariamente! Nós temos em nossa categoria de hotéis, restaurantes e similares um dado muito importante sobre o assunto: 75% dos postos de trabalho são ocupados por mulheres. Esse número é um reflexo do efeito da evidência da "mulher geração Y" no mercado de trabalho, onde houve nas últimas décadas o ingresso considerável das mulheres na hotelaria e demais setores.

Há anos tenho lutado para valorizar as companheiras. Me lembro que, quando como garçom e maitre em atividade, sempre via o descaso que muitos praticavam quando o assunto era contratar uma garçonete por exemplo. Ninguém aceitava! Vendo isso, em 1985, quando fundamos o Sindicato aclamado por toda categoria que não tinham uma entidade de classe do setor na região, um dos meus objetivos era valorizar a mulher, pois eu enxergava naquela época o grande potencial e a destreza que muitas companheiras desempenhavam de forma tão comprometida suas responsabilidades como dona de casa, esposa, mãe e profissional hoteleira.

Sendo assim, eu me esforço para ser o maior incentivador da valorização e do respeito que essas profissionais devem receber. Prova disso foi uma medida adota nas últimas eleições do sindicato, onde fomos eleitos pela categoria com uma chapa apresentada composta igualitariamente com 50% das mulheres. E não pense você que essas mulheres foram selecionadas com base em "meta de cargos" não, viu! Cada diretora foi eleita pela sua altíssima competência. Nossas diretoras são atuantes, responsáveis e tem ajudado muito o sindicato a crescer. Por isso, falo agora com os companheiros dirigentes: prestemos mais atenção ao nosso redor.

Vamos dar mais espaço às mulheres, não por obrigação, mas pelo reconhecimento verdadeiro de que as companheiras têm muito, mas muito mesmo para acrescentar às entidades sindicais! Aqui no Sechorbs, a mulher tem vez e é valorizada. Minha esperança é de que cada dia mais possamos ter exemplos de lutas conduzidas pelas companheiras. Valorizemos a mulher! Vamos à luta. Deus abençoe!

Francisco Pereira de Andrade, diretor presidente do Sechorbs - Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Restaurantes e Bares de Bauru e Região