Avançar nas conquistas e enfrentar os desafios impostos pela Reforma Trabalhista vão marcar o dia de luta da categoria centenária.
Eusébio (Frentistas-RJ)Crédito: Sindicato

Trabalhar exposto a produtos inflamáveis, tóxicos, à violência, sob sol, chuva, frio, sereno e em pé por mais de seis horas, essa é a dura rotina dos trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência.

Na próxima segunda-feira (16) será comemorado o DIA DO FRENTISTA. Apesar das conquistas alcançadas nos últimos 12 anos, desde a fundação do SINPOSPETRO-RJ, a luta da diretoria do sindicato para melhorar os salários e as condições de segurança e saúde no ambiente laboral, ainda precisa avançar mais. Diante da nova lei 13.467, também conhecida como Reforma Trabalhista, que entra em vigor no mês que vem e retira direitos dos trabalhadores, a união da categoria ao sindicato se faz necessária e é imprescindível para manter as conquistas e evitar o retrocesso na Convenção Coletiva. Esse é o grande desafio que os frentistas têm pela frente.

O sindicato trabalha hoje para esclarecer a categoria sobre as mudanças nas leis trabalhistas e as suas consequências para os frentistas. Um ponto polêmico da nova lei, é o que libera a mulher gestante ou lactante para trabalhar em ambiente periculoso e insalubre, mediante atestado de um médico da empresa. Essa medida vai afetar diretamente as trabalhadoras de postos de combustíveis. Para impedir essa brutalidade, o SINPOSPETRO-RJ e demais entidades de classe, que representam as categorias que serão atingidas pela proposta, se mobilizam e pressionam para que o governo edite uma Medida Provisória a fim de garantir os direitos das mulheres trabalhadoras.

Mesmo com todos os obstáculos, o sindicato continua brigando para transformar O DIA DO FRENTISTA em repouso remunerado, assim como acontece com os trabalhadores do comércio e da construção civil, que também celebram as datas das suas categorias na terceira segunda-feira de outubro. Se as lojas que comercializam comida e remédios, produtos considerados essenciais, respeitam e não abrem no dia do feriado dos comerciários, por que não se pode ficar um dia sem se vender combustível? 

A solução é prática e basta apenas boa vontade. Essa é a reflexão que todos os trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência devem fazer na próxima segunda-feira. Tudo é possível quando acreditamos e nos unimos para concretizar nossos objetivos e reivindicar nossos direitos. Precisamos valorizar nossa mão de obra e exigir respeito a essa categoria centenária, que faz do seu suor o combustível para alavancar os lucros dos patrões.

DATA

A data instituída pela lei 1.926 de dezembro de 1991 passou a constar na Convenção Coletiva de Trabalho como feriado em 2006, desde então, o frentista recebe nesta data o dia trabalhado dobrado.

FERIADO 100%

Os empregados dos postos de combustíveis que estiverem escalados para trabalhar na próxima segunda-feira (16) terão que receber o dia dobrado. As Convenções Coletivas de Trabalho do Estado e do Município do Rio de Janeiro determinam que as horas trabalhadas em feriados devem ser pagas com acréscimo de 100% sobre a hora normal, sem prejuízo do pagamento do repouso remunerado.

FECHAMENTO

Para exigir a mudança e protestar contra a ganância dos patrões, desde 2015 o SINPOSPETRO-RJ aderiu ao FERIADO DO DIA DO FRENTISTA fechando a sede de Vila Isabel, na Zona Norte do Rio, e as subsedes de Volta Redonda, no Sul do Estado, e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Com essa atitude, a diretoria quer mostrar aos donos de postos que tudo pode ser feito de forma diferente sem prejuízo no atendimento ao público. E é em respeito e homenagem ao trabalhador de posto de combustível que o sindicato fechará na próxima segunda-feira (16).

Eusébio (Frentistas-RJ)Crédito: Sindicato

Trabalhar exposto a produtos inflamáveis, tóxicos, à violência, sob sol, chuva, frio, sereno e em pé por mais de seis horas, essa é a dura rotina dos trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência.

Na próxima segunda-feira (16) será comemorado o DIA DO FRENTISTA. Apesar das conquistas alcançadas nos últimos 12 anos, desde a fundação do SINPOSPETRO-RJ, a luta da diretoria do sindicato para melhorar os salários e as condições de segurança e saúde no ambiente laboral, ainda precisa avançar mais. Diante da nova lei 13.467, também conhecida como Reforma Trabalhista, que entra em vigor no mês que vem e retira direitos dos trabalhadores, a união da categoria ao sindicato se faz necessária e é imprescindível para manter as conquistas e evitar o retrocesso na Convenção Coletiva. Esse é o grande desafio que os frentistas têm pela frente.

O sindicato trabalha hoje para esclarecer a categoria sobre as mudanças nas leis trabalhistas e as suas consequências para os frentistas. Um ponto polêmico da nova lei, é o que libera a mulher gestante ou lactante para trabalhar em ambiente periculoso e insalubre, mediante atestado de um médico da empresa. Essa medida vai afetar diretamente as trabalhadoras de postos de combustíveis. Para impedir essa brutalidade, o SINPOSPETRO-RJ e demais entidades de classe, que representam as categorias que serão atingidas pela proposta, se mobilizam e pressionam para que o governo edite uma Medida Provisória a fim de garantir os direitos das mulheres trabalhadoras.

Mesmo com todos os obstáculos, o sindicato continua brigando para transformar O DIA DO FRENTISTA em repouso remunerado, assim como acontece com os trabalhadores do comércio e da construção civil, que também celebram as datas das suas categorias na terceira segunda-feira de outubro. Se as lojas que comercializam comida e remédios, produtos considerados essenciais, respeitam e não abrem no dia do feriado dos comerciários, por que não se pode ficar um dia sem se vender combustível? 

A solução é prática e basta apenas boa vontade. Essa é a reflexão que todos os trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência devem fazer na próxima segunda-feira. Tudo é possível quando acreditamos e nos unimos para concretizar nossos objetivos e reivindicar nossos direitos. Precisamos valorizar nossa mão de obra e exigir respeito a essa categoria centenária, que faz do seu suor o combustível para alavancar os lucros dos patrões.

DATA

A data instituída pela lei 1.926 de dezembro de 1991 passou a constar na Convenção Coletiva de Trabalho como feriado em 2006, desde então, o frentista recebe nesta data o dia trabalhado dobrado.

FERIADO 100%

Os empregados dos postos de combustíveis que estiverem escalados para trabalhar na próxima segunda-feira (16) terão que receber o dia dobrado. As Convenções Coletivas de Trabalho do Estado e do Município do Rio de Janeiro determinam que as horas trabalhadas em feriados devem ser pagas com acréscimo de 100% sobre a hora normal, sem prejuízo do pagamento do repouso remunerado.

FECHAMENTO

Para exigir a mudança e protestar contra a ganância dos patrões, desde 2015 o SINPOSPETRO-RJ aderiu ao FERIADO DO DIA DO FRENTISTA fechando a sede de Vila Isabel, na Zona Norte do Rio, e as subsedes de Volta Redonda, no Sul do Estado, e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Com essa atitude, a diretoria quer mostrar aos donos de postos que tudo pode ser feito de forma diferente sem prejuízo no atendimento ao público. E é em respeito e homenagem ao trabalhador de posto de combustível que o sindicato fechará na próxima segunda-feira (16).