O Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo/Mogi das Cruzes fará manifestações e protestos em portas de fábricas e em todas as regiões da capital e em Mogi nesta sexta-feira (10 de novembro), Dia Nacional de Luta, Manifestações e Paralisações contra a aplicação da lei (reforma) trabalhista e a reforma da Previdência.
Metalúrgicos de São PauloCrédito: Sindicato

O Dia Nacional de Luta foi organizado pelo movimento Brasil Metalúrgico, que, além de metalúrgicos, reúne entidades do comércio, bancários, energia, alimentação, entre outras, e das centrais sindicais, que farão um grande protesto na Praça da Sé, às 10h.

O Dia de Luta também é contra a terceirização, as privatizações e  a desnacionalização da indústria, e em defesa dos aposentados, do patrimônio nacional e da luta dos servidores públicos.

Miguel Torres, presidente do Sindicato e da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos), estará a partir das 5h na Valeo (Rua Rodrigues de Medeiros, 214, bairro Pedreira, Mar Paulista, zona sul). De lá irá para o Ato das Centrais na Praça da Sé, às 10h.
“Estamos juntos com a Força Sindical e demais centrais nesta luta de resistência contra as reformas que tiram direitos e penalizam os trabalhadores”, afirma.
 
Na capital, os protestos vão reunir trabalhadores de várias fábricas nos seguintes locais e horários:

Zona Sul - Ponte do Socorro – 10h
Zona Norte – Concentração em frente à Aliança Metalúrgica (Rua Freire Bastos, 89, Jaçanã) - 7h
Zona Oeste – Concentração em frente à Combustol Metalpó (Estrada Turística do Jaraguá, 358, Pirituba) e passeata até a Rodovia Anhanguera – 8h
Zona Leste (Mooca) – Manifestação na Praça Lorenzetti – 8h
Zona Leste (Itaquera) – Avenida Jacú Pêssego (rotatória próxima ao Carrefour) – 8h

Mogi das Cruzes -
1- Elgin (Av. Ver. Dante Jordão Stoppa, 47, Cészar de Souza) – 7h
2 - Av. Katsuji Kitaguchi, 351, Vila São Francisco) – 7h – vai reunir trabalhadores da Engesig, Tecnocurva, Prada, NGK, Rinnai, Sercon, de Mogi, e da Eco X, Trifel, Caribé, Termikal, Schneider, Daneva e GS Car, de Poá
 

Metalúrgicos de São PauloCrédito: Sindicato

O Dia Nacional de Luta foi organizado pelo movimento Brasil Metalúrgico, que, além de metalúrgicos, reúne entidades do comércio, bancários, energia, alimentação, entre outras, e das centrais sindicais, que farão um grande protesto na Praça da Sé, às 10h.

O Dia de Luta também é contra a terceirização, as privatizações e  a desnacionalização da indústria, e em defesa dos aposentados, do patrimônio nacional e da luta dos servidores públicos.

Miguel Torres, presidente do Sindicato e da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos), estará a partir das 5h na Valeo (Rua Rodrigues de Medeiros, 214, bairro Pedreira, Mar Paulista, zona sul). De lá irá para o Ato das Centrais na Praça da Sé, às 10h.
“Estamos juntos com a Força Sindical e demais centrais nesta luta de resistência contra as reformas que tiram direitos e penalizam os trabalhadores”, afirma.
 
Na capital, os protestos vão reunir trabalhadores de várias fábricas nos seguintes locais e horários:

Zona Sul - Ponte do Socorro – 10h
Zona Norte – Concentração em frente à Aliança Metalúrgica (Rua Freire Bastos, 89, Jaçanã) - 7h
Zona Oeste – Concentração em frente à Combustol Metalpó (Estrada Turística do Jaraguá, 358, Pirituba) e passeata até a Rodovia Anhanguera – 8h
Zona Leste (Mooca) – Manifestação na Praça Lorenzetti – 8h
Zona Leste (Itaquera) – Avenida Jacú Pêssego (rotatória próxima ao Carrefour) – 8h

Mogi das Cruzes -
1- Elgin (Av. Ver. Dante Jordão Stoppa, 47, Cészar de Souza) – 7h
2 - Av. Katsuji Kitaguchi, 351, Vila São Francisco) – 7h – vai reunir trabalhadores da Engesig, Tecnocurva, Prada, NGK, Rinnai, Sercon, de Mogi, e da Eco X, Trifel, Caribé, Termikal, Schneider, Daneva e GS Car, de Poá