Negociação salarial dos frentistas termina sem acordoCrédito: Arquivo Fepospetro

Terminou sem acordo, a primeira reunião de negociação da campanha salarial dos frentistas com os patrões

 
Os empresários usaram como argumentos a   crise econômica, o aumento das irregularidades e fraudes no  mercado de combustíveis. Praticamente ignoraram todas as reivindicações apresentadas pela categoria.

O presidente da Federação Estadual dos Frentistas (Fepospetro),  Luiz Arraes, rebateu os  argumentos da bancada patronal com base em  informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), cujos dados comprovam que o mercado de combustíveis segue aquecido em  vendas e lucratividade, tendo sido um dos menos impactados pela retração no consumo, no comparativo com outros setores.

Arraes alertou: “ninguém sofre mais com a crise do que o trabalhador, que não pode ver seu poder de compra escorrer pelo ralo. Portanto, não vamos aceitar que a  atual  situação do País seja usada como desculpa para dificultar ainda mais as negociações salariais”.

A negociação será retomada no dia   dia 29 de março, as 10 horas.
 
Campanha - A data-base da categoria de São Paulo é 1° de março. A pauta deste ano inclui reivindicações econômicas, e foi aprovada em assembleias realizadas pelos dezesseis sindicatos dos frentistas de todo o Estado.

Fique ligado – Os trabalhadores podem e devem participar das rodadas de negociações, que são realizadas em São Paulo.  O alerta  é presidente da  Fepospetro, Luiz Arraes, que orienta que  trabalhador com disponibilidade de presença se  manifeste junto ao Sindicato dos Frentistas da sua cidade.





 

Negociação salarial dos frentistas termina sem acordoCrédito: Arquivo Fepospetro

Terminou sem acordo, a primeira reunião de negociação da campanha salarial dos frentistas com os patrões

 
Os empresários usaram como argumentos a   crise econômica, o aumento das irregularidades e fraudes no  mercado de combustíveis. Praticamente ignoraram todas as reivindicações apresentadas pela categoria.

O presidente da Federação Estadual dos Frentistas (Fepospetro),  Luiz Arraes, rebateu os  argumentos da bancada patronal com base em  informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), cujos dados comprovam que o mercado de combustíveis segue aquecido em  vendas e lucratividade, tendo sido um dos menos impactados pela retração no consumo, no comparativo com outros setores.

Arraes alertou: “ninguém sofre mais com a crise do que o trabalhador, que não pode ver seu poder de compra escorrer pelo ralo. Portanto, não vamos aceitar que a  atual  situação do País seja usada como desculpa para dificultar ainda mais as negociações salariais”.

A negociação será retomada no dia   dia 29 de março, as 10 horas.
 
Campanha - A data-base da categoria de São Paulo é 1° de março. A pauta deste ano inclui reivindicações econômicas, e foi aprovada em assembleias realizadas pelos dezesseis sindicatos dos frentistas de todo o Estado.

Fique ligado – Os trabalhadores podem e devem participar das rodadas de negociações, que são realizadas em São Paulo.  O alerta  é presidente da  Fepospetro, Luiz Arraes, que orienta que  trabalhador com disponibilidade de presença se  manifeste junto ao Sindicato dos Frentistas da sua cidade.