Nota da Força Sindical sobre anúncio das reformas trabalhista e previdenciáriaCrédito: Paulo Segura

Não à retirada de direitos


Causou-nos estranheza o anúncio do governo de que fará reformas trabalhista e previdenciária estabelecendo um limite de idade para a aposentadoria, apenas para mostrar ao mercado que realmente vai buscar o equilíbrio fiscal.

Vale lembrar que, mais uma vez, o governo quer fazer uma reforma nas costas do trabalhador. No final do ano passado, o governo editou duas medidas provisórias, MPs 664 e 665, com o intuito de fazer um ajuste fiscal, mas que penalizou muito, e tão somente, os trabalhadores.

Repudiamos estas reformas feitas na calada da noite. Toda e qualquer modificação nas leis que regem as áreas trabalhista e previdenciária devem ser feitas de forma democrática e transparente e com os legítimos representantes dos trabalhadores.

A Força Sindical continuará na luta por uma sociedade mais justa, com a valorização dos trabalhadores da ativa e dos aposentados, por mais empregos, saúde e educação, não apenas no discurso, mas nas negociações com os diversos setores da sociedade.

Miguel Torres,
Presidente da Força Sindical

 

Nota da Força Sindical sobre anúncio das reformas trabalhista e previdenciáriaCrédito: Paulo Segura

Não à retirada de direitos


Causou-nos estranheza o anúncio do governo de que fará reformas trabalhista e previdenciária estabelecendo um limite de idade para a aposentadoria, apenas para mostrar ao mercado que realmente vai buscar o equilíbrio fiscal.

Vale lembrar que, mais uma vez, o governo quer fazer uma reforma nas costas do trabalhador. No final do ano passado, o governo editou duas medidas provisórias, MPs 664 e 665, com o intuito de fazer um ajuste fiscal, mas que penalizou muito, e tão somente, os trabalhadores.

Repudiamos estas reformas feitas na calada da noite. Toda e qualquer modificação nas leis que regem as áreas trabalhista e previdenciária devem ser feitas de forma democrática e transparente e com os legítimos representantes dos trabalhadores.

A Força Sindical continuará na luta por uma sociedade mais justa, com a valorização dos trabalhadores da ativa e dos aposentados, por mais empregos, saúde e educação, não apenas no discurso, mas nas negociações com os diversos setores da sociedade.

Miguel Torres,
Presidente da Força Sindical