15 de março - Sintracon-SPCrédito: Sindicato

Na quarta-feira, 15 de março, o Brasil uniu-se em mais de 20 cidades e mostrou sua insatisfação com as reformas propostas pelo governo Michel Temer. Em São Paulo, sindicalistas, estudantes, integrantes de movimentos sociais e servidores, mobilizaram-se na Avenida Paulista, às 16 horas, e protestaram contra a reforma da Previdência.

A Proposta de Emenda Constitucional que prevê a reforma (PEC 287/2016) é analisada no Congresso Nacional e precisa ser aprovada para entrar em vigor. Contudo, a classe trabalhadora luta nas ruas com o objetivo de evitar a legitimação da medida.

O presidente do Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo), Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção, reprova a proposta originada pelo Governo Federal e promete lutar até o fim, sempre em defesa da classe trabalhadora.

“O Sintracon-SP continuará fortalecendo o movimento contra a Reforma Previdenciária. No dia 15 de março (quarta-feira), nos mobilizamos na zona sul da capital com trabalhadores da construção civil e percorremos avenidas da Zona Sul em passeata para reivindicar os nossos direitos. Será assim até o fim”, afirma Ramalho.