A Campanha Salarial e Social dos trabalhadores nos setores industriais químicos e plástico está terminando com a conquista de Reajuste Salarial de 100% do INPC e manutenção de todas as cláusulas sociais da Convenção Coletiva de Trabalho para toda a categoria.
Quimicos-da-Forca-aprovam-Pauta-de-Reivindicacoes-dos-trabalhadores-nos-setores-quimico-e-plastico-6-1-696x521Crédito: Arquivo

As negociações, entretanto, continuam em várias regiões do estado de São Paulo. Dirigentes dos Sindicatos filiados à FEQUIMFAR destacam que os resultados obtidos estão contemplando a categoria com reajustes de variam de 4% a 8%.

Na região de Jundiaí, o presidente do Sindicato dos Plásticos, João Henrique dos Santos, comemora a conquista do reajuste salarial que varia de 4% a até 8%, em cerca de 25 empresas do setor. “Continuamos realizando reuniões e assembleias para que todos que os trabalhadores possam ser beneficiados”, disse.

O presidente do Sindicato dos Químicos de Lorena, Jeferson Ferreira, também destaca acordo fechado com o grupo Valfilm, reajustando os salários em 4% e com PLR de R$ 2.000,00.

Dando sequência ao processo de negociação referente à campanha salarial, dirigentes do Sindicato dos Químicos de Sorocaba conquistaram acordo de reajuste salarial de 5,5% para os trabalhadores e trabalhadoras da empresa Suricato Fibras LTDA. “Comemoramos mais esta vitória e seguimos buscando mais e melhores reajustes por empresas”, destaca Carlos Alberto dos Santos, Carlão, presidente do STI Sorocaba.

Em Louveira, a presidente do Sindicato dos Químicos, Regina Baialuna, também informa que depois de negociar com empresas sobre o reajuste salarial da categoria química, com data-base em 1º de novembro, “conquistamos 4% de reajuste salarial para os trabalhadores e trabalhadoras da Ecoblaster, que fica na cidade Louveira”.
 
Os Químicos de Americana também estão organizados na luta por mais reajustes: trabalhadores de duas empresas já conquistaram aumento real. Trabalhadores do Grupo Mondialle (4 empresas), de Santa Bárbara d’Oeste, terão reajuste de 3,5%. Já os da High Tech de Limeira, terão reajuste de 3% e PLR de R$ 1.060,00. Os diretores do Sindicato afirmam que o trabalho está sendo intenso na base e já existem novas reuniões agendadas.

Quimicos-da-Forca-aprovam-Pauta-de-Reivindicacoes-dos-trabalhadores-nos-setores-quimico-e-plastico-6-1-696x521Crédito: Arquivo

As negociações, entretanto, continuam em várias regiões do estado de São Paulo. Dirigentes dos Sindicatos filiados à FEQUIMFAR destacam que os resultados obtidos estão contemplando a categoria com reajustes de variam de 4% a 8%.

Na região de Jundiaí, o presidente do Sindicato dos Plásticos, João Henrique dos Santos, comemora a conquista do reajuste salarial que varia de 4% a até 8%, em cerca de 25 empresas do setor. “Continuamos realizando reuniões e assembleias para que todos que os trabalhadores possam ser beneficiados”, disse.

O presidente do Sindicato dos Químicos de Lorena, Jeferson Ferreira, também destaca acordo fechado com o grupo Valfilm, reajustando os salários em 4% e com PLR de R$ 2.000,00.

Dando sequência ao processo de negociação referente à campanha salarial, dirigentes do Sindicato dos Químicos de Sorocaba conquistaram acordo de reajuste salarial de 5,5% para os trabalhadores e trabalhadoras da empresa Suricato Fibras LTDA. “Comemoramos mais esta vitória e seguimos buscando mais e melhores reajustes por empresas”, destaca Carlos Alberto dos Santos, Carlão, presidente do STI Sorocaba.

Em Louveira, a presidente do Sindicato dos Químicos, Regina Baialuna, também informa que depois de negociar com empresas sobre o reajuste salarial da categoria química, com data-base em 1º de novembro, “conquistamos 4% de reajuste salarial para os trabalhadores e trabalhadoras da Ecoblaster, que fica na cidade Louveira”.
 
Os Químicos de Americana também estão organizados na luta por mais reajustes: trabalhadores de duas empresas já conquistaram aumento real. Trabalhadores do Grupo Mondialle (4 empresas), de Santa Bárbara d’Oeste, terão reajuste de 3,5%. Já os da High Tech de Limeira, terão reajuste de 3% e PLR de R$ 1.060,00. Os diretores do Sindicato afirmam que o trabalho está sendo intenso na base e já existem novas reuniões agendadas.