Mais investimento no jurídico e na divulgação das ações sindicais realizadas em conjunto com os dezesseis sindicatos filiados foram umas das resultantes do fechamento da Prestação de Contas do exercício 2015/2016 e Previsão Orçamentária para o próximo ano da Federação dos Frentistas de São Paulo – Fepospetro, entidade fundada há 25 anos.
FepospetroCrédito: Vanildo Custódio

Realizada no dia 13 de dezembro, a reunião na Fepospetro reuniu dirigentes sindicais das entidades do Estado de São Paulo filiadas a Federação: “Este é o momento de acompanhar como estão sendo conduzidas as contas da Fepospetro, tirar dúvidas, fazer questionamentos e ampliar ainda mais a transparência da nossa gestão”, afirmou na ocasião Luiz Arraes, que exerce segundo mandato à frente da entidade.

Negociações Coletivas 2018
A Campanha Salarial, em fase de assembleias, terá a sua pauta de reivindicações definida no dia 23 de janeiro de 2018, na Fepospetro, que centraliza a campanha. Marcará o início das negociações a entrega do documento, pela Fepospetro, ao setor patronal de São Paulo, formado pelas entidades Sincopetro, Resan, Regran e Recap.

Jurídico
A Fepospetro planeja reforçar o seu departamento jurídico com o intuito de articular imediata e efetiva reação contra empresas que promoverem práticas antissindicais, sob o argumento da nova Lei Trabalhista, inconstitucional em diversos pontos, de acordo com a Federação Nacional dos Frentistas – Fenepospetro. “Caso algum trabalhador sofra ou tenha conhecimento de práticas antissindicais relacionadas à sua condição de associado ou a outro tema, deve entrar em contato com o seu Sindicato ou com a Fepospetro”, alertou Arraes.

Comunicação
Para Luiz Arraes, as mudanças na estrutura do sindicalismo e no consumo de informação é um processo sem volta. “Precisamos fazer uma autocrítica corajosa sobre a nossa contribuição até aqui na defesa da classe trabalhadora, e também da maneira como vamos dialogar com ela” , afirmou.

Benzeno
Um balanço dos trabalhos da entidade à frente da campanha “Benzeno não é flor que se cheira” parceria da Fepospetro com o Ministério Público do Trabalho de Bauru, foi apresentado por Luiz Arraes . Ele informou que a campanha iniciada em agosto de 2017 e que tem duração de quinze meses, entra em janeiro em sua terceira fase. “Concluídas as instalações dos 12 outdoors nas principais rodovias do Estado, partimos agora para a produção das cem mil cartilhas informativas sobre benzeno e saúde, e que serão distribuídas aos trabalhadores, pelos sindicatos, em suas bases“, explicou Arraes.

Ao final da reunião, Arraes lembrou da responsabilidade de cada dirigente sindical na tarefa de deter o curso do projeto neoliberal de desmonte dos direitos sociais. “Os sindicatos hoje têm a dupla função de defender a classe trabalhadora, e também de reconduzir o país rumo à sua soberania” alertou.


 

FepospetroCrédito: Vanildo Custódio

Realizada no dia 13 de dezembro, a reunião na Fepospetro reuniu dirigentes sindicais das entidades do Estado de São Paulo filiadas a Federação: “Este é o momento de acompanhar como estão sendo conduzidas as contas da Fepospetro, tirar dúvidas, fazer questionamentos e ampliar ainda mais a transparência da nossa gestão”, afirmou na ocasião Luiz Arraes, que exerce segundo mandato à frente da entidade.

Negociações Coletivas 2018
A Campanha Salarial, em fase de assembleias, terá a sua pauta de reivindicações definida no dia 23 de janeiro de 2018, na Fepospetro, que centraliza a campanha. Marcará o início das negociações a entrega do documento, pela Fepospetro, ao setor patronal de São Paulo, formado pelas entidades Sincopetro, Resan, Regran e Recap.

Jurídico
A Fepospetro planeja reforçar o seu departamento jurídico com o intuito de articular imediata e efetiva reação contra empresas que promoverem práticas antissindicais, sob o argumento da nova Lei Trabalhista, inconstitucional em diversos pontos, de acordo com a Federação Nacional dos Frentistas – Fenepospetro. “Caso algum trabalhador sofra ou tenha conhecimento de práticas antissindicais relacionadas à sua condição de associado ou a outro tema, deve entrar em contato com o seu Sindicato ou com a Fepospetro”, alertou Arraes.

Comunicação
Para Luiz Arraes, as mudanças na estrutura do sindicalismo e no consumo de informação é um processo sem volta. “Precisamos fazer uma autocrítica corajosa sobre a nossa contribuição até aqui na defesa da classe trabalhadora, e também da maneira como vamos dialogar com ela” , afirmou.

Benzeno
Um balanço dos trabalhos da entidade à frente da campanha “Benzeno não é flor que se cheira” parceria da Fepospetro com o Ministério Público do Trabalho de Bauru, foi apresentado por Luiz Arraes . Ele informou que a campanha iniciada em agosto de 2017 e que tem duração de quinze meses, entra em janeiro em sua terceira fase. “Concluídas as instalações dos 12 outdoors nas principais rodovias do Estado, partimos agora para a produção das cem mil cartilhas informativas sobre benzeno e saúde, e que serão distribuídas aos trabalhadores, pelos sindicatos, em suas bases“, explicou Arraes.

Ao final da reunião, Arraes lembrou da responsabilidade de cada dirigente sindical na tarefa de deter o curso do projeto neoliberal de desmonte dos direitos sociais. “Os sindicatos hoje têm a dupla função de defender a classe trabalhadora, e também de reconduzir o país rumo à sua soberania” alertou.