A autopeças Indebrás, localizada Vila Jaraguá, Zona Oeste de São Paulo, anunciou dia 3 o encerramento das suas atividades com venda da empresa para o grupo AJC. A empresa demitiu os empregados, mas se recusou a quitar as dívidas trabalhistas.

Desde o anúncio do encerramento das atividades, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes faz um acampamento no local com os 70 trabalhadores e trabalhadoras, inclusive com a presença das famílias. Na terça (9), ocorreu um novo protesto dos empregados, com passeata pelas ruas da região.
 

10702Crédito: Arquivo
Miguel Torres visita acampamento dos funcionários dentro da Indebrás

O presidente do Sindicato, Miguel Torres, afirma: “Vamos lutar com todas nossas forças, para garantir os direitos dos trabalhadores. Vamos persistir nesta luta, sem trégua”. O dirigente esteve no acampamento, que tem 15 barracas.

A Rádio Web Agência Sindical entrevistou nesta quarta (10) o diretor David Martins, que relatou a situação de dificuldades por que passam os trabalhadores. "Alguns estão há três meses sem salários. Outros foram demitidos há mais de um ano e não receberam suas verbas rescisórias”.

Ele adiantou que havia uma reunião marcada com representantes da AJC. "Apenas uma advogada da empresa compareceu para tomar ciência das reivindicações. Saiu daqui dizendo que irá marcar, até sexta (12), uma nova reunião para apresentar uma proposta", diz o dirigente.

10703Crédito: Arquivo
Mesmo debaixo de chuva, funcionários da Indebrás realizaram passeata

Segundo David Martins, o próximo passo é acionar a Justiça do Trabalho. "Nosso jurídico está trabalhando para que as próximas conversas sejam no Tribunal Regional do Trabalho. É preciso garantir que os empregados da Indebrás recebam aquilo que têm direito", explica.

Mais informações: www.metalurgicos.org.br

Desde o anúncio do encerramento das atividades, o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes faz um acampamento no local com os 70 trabalhadores e trabalhadoras, inclusive com a presença das famílias. Na terça (9), ocorreu um novo protesto dos empregados, com passeata pelas ruas da região.
 

10702Crédito: Arquivo
Miguel Torres visita acampamento dos funcionários dentro da Indebrás

O presidente do Sindicato, Miguel Torres, afirma: “Vamos lutar com todas nossas forças, para garantir os direitos dos trabalhadores. Vamos persistir nesta luta, sem trégua”. O dirigente esteve no acampamento, que tem 15 barracas.

A Rádio Web Agência Sindical entrevistou nesta quarta (10) o diretor David Martins, que relatou a situação de dificuldades por que passam os trabalhadores. "Alguns estão há três meses sem salários. Outros foram demitidos há mais de um ano e não receberam suas verbas rescisórias”.

Ele adiantou que havia uma reunião marcada com representantes da AJC. "Apenas uma advogada da empresa compareceu para tomar ciência das reivindicações. Saiu daqui dizendo que irá marcar, até sexta (12), uma nova reunião para apresentar uma proposta", diz o dirigente.

10703Crédito: Arquivo
Mesmo debaixo de chuva, funcionários da Indebrás realizaram passeata

Segundo David Martins, o próximo passo é acionar a Justiça do Trabalho. "Nosso jurídico está trabalhando para que as próximas conversas sejam no Tribunal Regional do Trabalho. É preciso garantir que os empregados da Indebrás recebam aquilo que têm direito", explica.

Mais informações: www.metalurgicos.org.br