Uma das coisas mais importantes na vida de um(a) trabalhador(a), chefe de família, é, sem dúvida, o trabalho. É com o salário proveniente do trabalho que esse(a) trabalhador(a) mantém o sustento de sua família, paga suas contas, educa seus filhos, adquire bens de consumo e os medicamentos necessários quando um dos seus adoece, influenciando diretamente em sua qualidade de vida nos aspectos pessoais, econômicos e sociais. O trabalho supre, enfim, as necessidades de todos aqueles que dele(a) dependem. Mas o trabalho, mais do que apenas fornecer sustento e quitar contas, traz outros pontos fundamentais em nossas vidas.

O trabalho na vida de uma pessoa traz satisfação pessoal para o(a) trabalhador(a) e uma motivação a mais para que ele dê continuidade à sua empreitada, uma sensação do dever cumprido, mesmo sabedor de que não pode parar. Mas, quando falamos em trabalho, estamos nos referindo ao trabalho decente, em ambiente seguro e com salário digno, não ao trabalho predatório, informal, inseguro e de ganhos incertos.

Outras vantagens importantes trazidas pelo trabalho são as diversidades que o ato de trabalhar oferece, como disciplina, relacionamento interpessoal com os demais companheiros, uma vida ativa, a sensação de sentir-se útil, realização profissional e o próprio desenvolvimento profissional e humano, entre outras.

Já o desemprego é responsável pelos problemas relacionados à saúde física e mental do(a) trabalhador(a). A violência e o crime, muitas das vezes, também têm relação direta com o desemprego. O desemprego, ainda, é causador de uma ampla desorganização familiar e social, podendo, inclusive, levar à desagregação familiar.

A Força Sindical sempre pautou sua atuação na defesa do emprego e dos trabalhadores, na manutenção e ampliação dos direitos e por salários dignos. Vivenciamos, hoje, um período em que cerca de treze milhões de brasileiros(as) estão sem emprego, número este que alcançam a estratosfera se levarmos em conta seus dependentes diretos.

Nossos governantes têm de se posicionar do lado da classe trabalhadora e traçar objetivos para que o Brasil retome o seu crescimento econômico com a geração de mais empregos, além de baixar a taxa de juros e incentivar os investimentos no setor produtivo. Os trabalhadores brasileiros precisam e merecem que isto aconteça!

Miguel Torres
Presidente interino da Força Sindical

Uma das coisas mais importantes na vida de um(a) trabalhador(a), chefe de família, é, sem dúvida, o trabalho. É com o salário proveniente do trabalho que esse(a) trabalhador(a) mantém o sustento de sua família, paga suas contas, educa seus filhos, adquire bens de consumo e os medicamentos necessários quando um dos seus adoece, influenciando diretamente em sua qualidade de vida nos aspectos pessoais, econômicos e sociais. O trabalho supre, enfim, as necessidades de todos aqueles que dele(a) dependem. Mas o trabalho, mais do que apenas fornecer sustento e quitar contas, traz outros pontos fundamentais em nossas vidas.

O trabalho na vida de uma pessoa traz satisfação pessoal para o(a) trabalhador(a) e uma motivação a mais para que ele dê continuidade à sua empreitada, uma sensação do dever cumprido, mesmo sabedor de que não pode parar. Mas, quando falamos em trabalho, estamos nos referindo ao trabalho decente, em ambiente seguro e com salário digno, não ao trabalho predatório, informal, inseguro e de ganhos incertos.

Outras vantagens importantes trazidas pelo trabalho são as diversidades que o ato de trabalhar oferece, como disciplina, relacionamento interpessoal com os demais companheiros, uma vida ativa, a sensação de sentir-se útil, realização profissional e o próprio desenvolvimento profissional e humano, entre outras.

Já o desemprego é responsável pelos problemas relacionados à saúde física e mental do(a) trabalhador(a). A violência e o crime, muitas das vezes, também têm relação direta com o desemprego. O desemprego, ainda, é causador de uma ampla desorganização familiar e social, podendo, inclusive, levar à desagregação familiar.

A Força Sindical sempre pautou sua atuação na defesa do emprego e dos trabalhadores, na manutenção e ampliação dos direitos e por salários dignos. Vivenciamos, hoje, um período em que cerca de treze milhões de brasileiros(as) estão sem emprego, número este que alcançam a estratosfera se levarmos em conta seus dependentes diretos.

Nossos governantes têm de se posicionar do lado da classe trabalhadora e traçar objetivos para que o Brasil retome o seu crescimento econômico com a geração de mais empregos, além de baixar a taxa de juros e incentivar os investimentos no setor produtivo. Os trabalhadores brasileiros precisam e merecem que isto aconteça!

Miguel Torres
Presidente interino da Força Sindical