Ação visa o fim da violência contra as mulheres
30 DE JUNHO - AuxiliadoraCrédito: Arquivo

No próximo dia 25, as mulheres das centrais sindicais iniciam os 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres. “Esta ação ganha relevância porque os crimes contra as mulheres estão cada vez mais violentos e é preciso acabar com esta prática repulsiva”, diz Maria Auxiliadora dos Santos, secretária Nacional das Mulheres da Força.

A organização dos 16 dias de ativismo aconteceu no dia 8 de novembro em reunião  do Fórum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) integrado por sindicalistas das seis maiores centrais do país (CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT).

As dirigentes aprovaram uma série de ações visando a organização para os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres. Entre as ações aprovadas destacam-se: fazer uma campanha permanente de denúncia a todas as formas de violência; encaminhar orientações para que os estados realizem ações unificadas e a necessidade de garantir a presença de notícias sobre as ações das mulheres nos veículos de comunicação das centrais para as informações chegarem com maior rapidez às seções estaduais e aos sindicatos filiados.

Para que essas ações tenham um alcance nacional avaliou-se a importância de que sejam constituídos Fóruns Estaduais das Centrais. Com o objetivo de contribuir com essa discussão o Fórum Nacional elaborou um histórico do FNMT que pode ser visto na íntegra  em anexo abaixo.


Clique aqui

30 DE JUNHO - AuxiliadoraCrédito: Arquivo

No próximo dia 25, as mulheres das centrais sindicais iniciam os 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres. “Esta ação ganha relevância porque os crimes contra as mulheres estão cada vez mais violentos e é preciso acabar com esta prática repulsiva”, diz Maria Auxiliadora dos Santos, secretária Nacional das Mulheres da Força.

A organização dos 16 dias de ativismo aconteceu no dia 8 de novembro em reunião  do Fórum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) integrado por sindicalistas das seis maiores centrais do país (CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT).

As dirigentes aprovaram uma série de ações visando a organização para os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres. Entre as ações aprovadas destacam-se: fazer uma campanha permanente de denúncia a todas as formas de violência; encaminhar orientações para que os estados realizem ações unificadas e a necessidade de garantir a presença de notícias sobre as ações das mulheres nos veículos de comunicação das centrais para as informações chegarem com maior rapidez às seções estaduais e aos sindicatos filiados.

Para que essas ações tenham um alcance nacional avaliou-se a importância de que sejam constituídos Fóruns Estaduais das Centrais. Com o objetivo de contribuir com essa discussão o Fórum Nacional elaborou um histórico do FNMT que pode ser visto na íntegra  em anexo abaixo.


Clique aqui