artigo / opinião
secretarias
Portadores de Deficiência
seg, 28 de jul/2014
jornal da força
Edição nº 92 seg, 23 de jun/2014
agenda

JUL/2014

D
S
T
Q
Q
S
S
 
 
010203
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
1415161718
19
20
21222324
25
26
27
2829
30
31
 
 
Notícias da Imprensa
Compartilhe esta notícia com seus contatos das Redes Sociais
ter, 14 de jun/2011
FONTE: O POVO Online

Fortaleza (CE): Trabalhadores da construção civil param obras

Paralisação de grandes obras da construção civil no Ceará pode ser ampliada hoje. Movimento grevista, iniciado ontem, prossegue até que as empresas assinem a convenção coletiva

Trabalhadores das obras de ampliação do Porto do Pecém, reforma do estádio Castelão e Metrô de Fortaleza (Metrofor) cruzaram os braços ontem. O movimento paredista, que pode ser ampliado hoje, é uma forma de protestar contra as empresas que não assinaram a Convenção Coletiva negociada entre os sindicatos dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral no Estado do Ceará (Sintepav–CE) e Nacional da Indústria da Construção Pesada (Sinicon).

Segundo o Sintepav-CE, ontem cerca de três mil homens pararam e hoje pode superar os dez mil se o pessoal da Usina Termelétrica Energia Pecém (UTE-Pecém), do Canal do Trabalhador e Transfor aderirem.

O POVO procurou o representante do Sinicon no Ceará, Dinalvo Diniz, para falar sobre o assunto, mas não obteve retorno. A Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) preferiu não se pronunciar, considerando que esse é um problema das empresas. Adiantou, contudo que a Secretaria vai acompanhar e avaliar a evolução da questão. A assessoria de imprensa do Metrofor disse que não foi registrada paralisação nos canteiros da obra, mas o sindicato dos trabalhadores sustenta que, no trecho da avenida Tristão Gonçalves, ninguém trabalhou até às 11 horas.

Acordos coletivos

Na tarde de ontem representantes do consórcio Andrade Mendonça e Galvão Engenharia, responsável pela obra do Castelão, foram ao Sintepav-CE e apresentaram proposta de acordo que será levada a assembleia geral da categoria hoje pela manhã. Eles concordaram com o reajuste de 13% e com o pagamento de 100% das horas extras aos sábados, mas se recusaram pagar cesta básica.

A Marquise e Ivai, que fazem a ampliação do Porto do Pecém, também levaram proposta aceitando pagar os 13% a todos os trabalhadores e horas extras de 100% que será submetida aos empregados das empresas em assembleia. “Ficou pendente o pagamento de 30% de periculosidade e a cesta básica”, completa o presidente do Sintepav-CE, Raimundo Nonato Gomes, acrescentando que se os cerca de 980 homens que trabalham na obra não aceitarem ela vai continuar parada.

O Quê

ENTENDA A NOTÍCIA

O Ceará tem cerca de 25 mil trabalhadores empregados em grandes obras, públicas e privadas, da construção civil. O sindicato da categoria (Sintepav-CE) iniciou as negociações, enviando a pauta de reivindicações no dia 28 de fevereiro. O salário base do servente é de R$ 539.

Artumira Dutra

download de arquivos relacionados
nenhum comentário enviado
faça seu comentário
600
conteúdo relacionado
sex, 25 de jul/2014

O real custo do emprego

áudios
qui, 24 de jul/2014

palavra do presidente
Miguel Torres, presidente da Força Sindical
cultura
filmes relacionados ao mundo do trabalho

Dica de filme: João Saldanha uma Vida em Jogo

Quando o futebol é pautado pela sociedade, como em época de Copa do Mundo, invariavelmente memórias de futebolistas são resgatadas. Leia mais ...
imagens
charges

Rua Rocha Pombo, 94
Liberdade / SP - Brasil
CEP 01525-010

pabx
55 11 3348.9000

força mail

Para receber novidades, cadastre-se aqui: