paulinho_oficialCrédito: Arquivo

Há exatos 27 anos, em um 8 de março, Dia Internacional da Mulher, foi realizado um grande congresso, no Memorial da América Latina, com mais de 2.500 participantes, entre trabalhadores, aposentados, autoridades, militantes e dirigentes sindicais de todo o País e do exterior.

Nesse dia nascia a Força Sindical, uma Central Sindical autônoma, livre, pluralista e firme em suas convicções na busca por um Brasil mais igualitário e justo. A Central cresceu e virou referência nas lutas em defesa dos trabalhadores, conquistando o reconhecimento de entidades sindicais de vários países. Hoje, representamos cerca de 2 mil entidades sindicais, em todas as regiões do país.

Entre nossas importantes conquistas estão o aumento de 147% aos aposentados, nos anos 90; a legalização das Centrais Sindicais; o fim da Emenda 3; a participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados das empresas e a manutenção da política de reajuste do salário mínimo.

Mas nossa atuação para intensificar o protagonismo dos trabalhadores nas grandes questões em nível nacional não pára. Temos uma pauta trabalhista e estamos na luta.

Lutamos contra  o desemprego, contra a redução de direitos, contra os juros altos, pelo fortalecimento das entidades sindicais, por uma nova forma de financiamento sindical, enfim por uma sociedade mais justa e igualitária.

Nossa luta é árdua, mas não podemos esmorecer até que alcancemos nossos objetivos. Vamos continuar, fortes e unidos, em busca do País que os trabalhadores brasileiros almejam e merecem.

Paulo Pereira da Silva – Paulinho
Presidente da Força Sindical e deputado federal

paulinho_oficialCrédito: Arquivo

Há exatos 27 anos, em um 8 de março, Dia Internacional da Mulher, foi realizado um grande congresso, no Memorial da América Latina, com mais de 2.500 participantes, entre trabalhadores, aposentados, autoridades, militantes e dirigentes sindicais de todo o País e do exterior.

Nesse dia nascia a Força Sindical, uma Central Sindical autônoma, livre, pluralista e firme em suas convicções na busca por um Brasil mais igualitário e justo. A Central cresceu e virou referência nas lutas em defesa dos trabalhadores, conquistando o reconhecimento de entidades sindicais de vários países. Hoje, representamos cerca de 2 mil entidades sindicais, em todas as regiões do país.

Entre nossas importantes conquistas estão o aumento de 147% aos aposentados, nos anos 90; a legalização das Centrais Sindicais; o fim da Emenda 3; a participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados das empresas e a manutenção da política de reajuste do salário mínimo.

Mas nossa atuação para intensificar o protagonismo dos trabalhadores nas grandes questões em nível nacional não pára. Temos uma pauta trabalhista e estamos na luta.

Lutamos contra  o desemprego, contra a redução de direitos, contra os juros altos, pelo fortalecimento das entidades sindicais, por uma nova forma de financiamento sindical, enfim por uma sociedade mais justa e igualitária.

Nossa luta é árdua, mas não podemos esmorecer até que alcancemos nossos objetivos. Vamos continuar, fortes e unidos, em busca do País que os trabalhadores brasileiros almejam e merecem.

Paulo Pereira da Silva – Paulinho
Presidente da Força Sindical e deputado federal