A greve, de quatro dias, começará no dia 31
Banco da Inglaterra terá primeira greve em mais de 50 anosCrédito: Divulgação

Os funcionários dos departamentos de manutenção e segurança do Banco da Inglaterra farão uma greve no final do mês por melhores salariais, a primeira na entidade em mais de 50 anos, informou nesta segunda-feira o sindicato Unite.

A greve, de quatro dias, começará no dia 31, depois que 95% dos membros desses departamento do sindicato votaram a favor após receber uma proposta de alta salarial abaixo do nível da inflação, que se situa em 2,9%.

O Unite advertiu que se o banco emissor inglês não resolver a situação dos funcionários, consultará outros membros de outros departamentos da entidade. "O pessoal do Banco da Inglaterra manifestou sua vontade votando pela greve", disse hoje uma porta-voz sindical.

"O Banco da Inglaterra enfrenta agora sua primeira medida de força em mais de 50 anos já que o pessoal de serviços vitais tomará medidas pela recusa total do banco a aceitar que sua força trabalhista tem problemas com o custo de vida", acrescentou.

 

Banco da Inglaterra terá primeira greve em mais de 50 anosCrédito: Divulgação

Os funcionários dos departamentos de manutenção e segurança do Banco da Inglaterra farão uma greve no final do mês por melhores salariais, a primeira na entidade em mais de 50 anos, informou nesta segunda-feira o sindicato Unite.

A greve, de quatro dias, começará no dia 31, depois que 95% dos membros desses departamento do sindicato votaram a favor após receber uma proposta de alta salarial abaixo do nível da inflação, que se situa em 2,9%.

O Unite advertiu que se o banco emissor inglês não resolver a situação dos funcionários, consultará outros membros de outros departamentos da entidade. "O pessoal do Banco da Inglaterra manifestou sua vontade votando pela greve", disse hoje uma porta-voz sindical.

"O Banco da Inglaterra enfrenta agora sua primeira medida de força em mais de 50 anos já que o pessoal de serviços vitais tomará medidas pela recusa total do banco a aceitar que sua força trabalhista tem problemas com o custo de vida", acrescentou.