Excesso de calor: cuidados básicos reduzem os riscos para o trabalhador
Os trabalhadores estão expostos a diversos riscos no ambiente de trabalho. No entanto, existem outros fatores, como o desconforto térmico. A onda de calor que atinge o Rio de Janeiro compromete a saúde profissional e interfere na produtividade. Os funcionários de postos de combustíveis estão diretamente expostos às temperaturas extremas, uma vez que trabalham próximo ao asfalto, onde a sensação térmica pode ultrapassar os 50 graus. O asfalto esquenta as massas de ar na superfície gerando o ‘calorão.
 
O excesso de calor pode causar diversos problemas, sendo importante que as empresas garantam o bem-estar dos funcionários, fornecendo uniformes e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados contra o calor e a exposição solar.
 
No Posto Via Expresso de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio de Janeiro, os frentistas trabalham de bermuda e têm acesso à água gelada. O diretor do SINPOSPETRO-RJ, Vinicius Mendonça conversou com os trabalhadores. Eles disseram que o uso da bermuda ajuda a aliviar o calor. Um coqueiro foi plantado no posto para aumentar a umidade relativa do ar.
 
SEGURANÇA NO TRABALHO
 
Conforme o parágrafo único do artigo 176 da Consolidação das Leis do Trabalho(CLT), a ventilação artificial será obrigatória sempre que a natural não preencher as condições de conforto térmico. Segundo a advogada do sindicato, Thaís Farah, as empresas devem cumprir as normas que garantem o bem-estar do trabalhador.
 
A NR 21 estabelece normas de segurança para as atividades ao ar livre. De acordo com o item 21.2, serão necessárias medidas especiais que protejam os trabalhadores da insolação excessiva, do calor, do frio, da umidade e dos ventos inconvenientes. Thaís lembra que o ideal é que o funcionário se sinta o mais confortável possível no local de trabalho.
 
A advogada também citou as disposições gerais da NR 24, que estabelecem condições mínimas de higiene e conforto nas instalações das empresas. O item 24-9 trata do fornecimento de água para os trabalhadores. As empresas são obrigadas a instalar bebedouros para os funcionários, e, quando não for possível, devem fornecer recipientes portáteis próprios e hermeticamente fechados.
 
SAÚDE
 
A exposição ao calor excessivo pode causar diversos problemas de saúde, como desidratação, aumento da frequência cardíaca e queda da pressão arterial.
 
O Ministério da Saúde divulgou, nesta semana, recomendações para prevenir os riscos do calor extremo, dentre elas: usar protetor solar, evitar a exposição direta ao sol; usar chapéus; usar roupas leves que não retenham calor; diminuir o esforço físico e repousar frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados.
 
Thais Farah ressalta que, ao oferecer um ambiente saudável, o posto de combustíveis diminuirá a rotatividade entre os seus funcionários e mostrará aos clientes que o cuidado com o colaborador também faz parte das políticas e dos valores da empresa.
Excesso de calor: cuidados básicos reduzem os riscos para o trabalhador
Os trabalhadores estão expostos a diversos riscos no ambiente de trabalho. No entanto, existem outros fatores, como o desconforto térmico. A onda de calor que atinge o Rio de Janeiro compromete a saúde profissional e interfere na produtividade. Os funcionários de postos de combustíveis estão diretamente expostos às temperaturas extremas, uma vez que trabalham próximo ao asfalto, onde a sensação térmica pode ultrapassar os 50 graus. O asfalto esquenta as massas de ar na superfície gerando o ‘calorão.
 
O excesso de calor pode causar diversos problemas, sendo importante que as empresas garantam o bem-estar dos funcionários, fornecendo uniformes e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados contra o calor e a exposição solar.
 
No Posto Via Expresso de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio de Janeiro, os frentistas trabalham de bermuda e têm acesso à água gelada. O diretor do SINPOSPETRO-RJ, Vinicius Mendonça conversou com os trabalhadores. Eles disseram que o uso da bermuda ajuda a aliviar o calor. Um coqueiro foi plantado no posto para aumentar a umidade relativa do ar.
 
SEGURANÇA NO TRABALHO
 
Conforme o parágrafo único do artigo 176 da Consolidação das Leis do Trabalho(CLT), a ventilação artificial será obrigatória sempre que a natural não preencher as condições de conforto térmico. Segundo a advogada do sindicato, Thaís Farah, as empresas devem cumprir as normas que garantem o bem-estar do trabalhador.
 
A NR 21 estabelece normas de segurança para as atividades ao ar livre. De acordo com o item 21.2, serão necessárias medidas especiais que protejam os trabalhadores da insolação excessiva, do calor, do frio, da umidade e dos ventos inconvenientes. Thaís lembra que o ideal é que o funcionário se sinta o mais confortável possível no local de trabalho.
 
A advogada também citou as disposições gerais da NR 24, que estabelecem condições mínimas de higiene e conforto nas instalações das empresas. O item 24-9 trata do fornecimento de água para os trabalhadores. As empresas são obrigadas a instalar bebedouros para os funcionários, e, quando não for possível, devem fornecer recipientes portáteis próprios e hermeticamente fechados.
 
SAÚDE
 
A exposição ao calor excessivo pode causar diversos problemas de saúde, como desidratação, aumento da frequência cardíaca e queda da pressão arterial.
 
O Ministério da Saúde divulgou, nesta semana, recomendações para prevenir os riscos do calor extremo, dentre elas: usar protetor solar, evitar a exposição direta ao sol; usar chapéus; usar roupas leves que não retenham calor; diminuir o esforço físico e repousar frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados.
 
Thais Farah ressalta que, ao oferecer um ambiente saudável, o posto de combustíveis diminuirá a rotatividade entre os seus funcionários e mostrará aos clientes que o cuidado com o colaborador também faz parte das políticas e dos valores da empresa.