Por unanimidade, os trabalhadores aprovaram durante assembleia o reajuste salarial, o abono e também a renovação de duas Convenções Coletivas de Trabalho

9d4a0fd5-4e46-4124-b04c-d1980bb1dff1Crédito: Arquivo
Assembleia foi conduzida pelo nosso presidente José Pereira dos Santos

Saem os dois primeiros acordos da campanha salarial 2020. Eles contemplam os trabalhadores nas empresas dos setores de autopeças e fabricação de máquinas.

A votação aconteceu na noite da última sexta-feira (13). Por unanimidade, a assembleia aprovou o reajuste salarial, o abono e também a renovação de duas Convenções Coletivas de Trabalho.

Ficou assim: Reajuste pelo INPC do período, de 4,77%. Em janeiro, 3,5%; em março, 1,27%. Abono salarial de 9,5%. Em duas parcelas. A primeira, de 5%, deve ser paga até 30 de novembro. A segunda, de 4,5%, tem que sair até 31 de dezembro.

CCT - A negociação aprovada garante a renovação integral da Convenção Coletiva, que assegura Pisos, estabilidade, adicionais e outros direitos metalúrgicos.

Pereira - Nosso presidente José Pereira dos Santos comandou a assembleia. Ele avalia: “O acordo é razoável na atual conjuntura. O Brasil vive debaixo de recessão, desemprego, sofre com a pandemia e tem um governo contrário aos trabalhadores”.

Sequência - O esforço do Sindicato será firmar acordo para 100% da categoria, por negociação. Onde não der, haverá luta e mobilização. Nosso vice, Josinaldo José de Barros (Cabeça), afirma: “A luta faz a lei. O que não conseguirmos pelo diálogo será buscado por meio da pressão”.

9d4a0fd5-4e46-4124-b04c-d1980bb1dff1Crédito: Arquivo
Assembleia foi conduzida pelo nosso presidente José Pereira dos Santos

Saem os dois primeiros acordos da campanha salarial 2020. Eles contemplam os trabalhadores nas empresas dos setores de autopeças e fabricação de máquinas.

A votação aconteceu na noite da última sexta-feira (13). Por unanimidade, a assembleia aprovou o reajuste salarial, o abono e também a renovação de duas Convenções Coletivas de Trabalho.

Ficou assim: Reajuste pelo INPC do período, de 4,77%. Em janeiro, 3,5%; em março, 1,27%. Abono salarial de 9,5%. Em duas parcelas. A primeira, de 5%, deve ser paga até 30 de novembro. A segunda, de 4,5%, tem que sair até 31 de dezembro.

CCT - A negociação aprovada garante a renovação integral da Convenção Coletiva, que assegura Pisos, estabilidade, adicionais e outros direitos metalúrgicos.

Pereira - Nosso presidente José Pereira dos Santos comandou a assembleia. Ele avalia: “O acordo é razoável na atual conjuntura. O Brasil vive debaixo de recessão, desemprego, sofre com a pandemia e tem um governo contrário aos trabalhadores”.

Sequência - O esforço do Sindicato será firmar acordo para 100% da categoria, por negociação. Onde não der, haverá luta e mobilização. Nosso vice, Josinaldo José de Barros (Cabeça), afirma: “A luta faz a lei. O que não conseguirmos pelo diálogo será buscado por meio da pressão”.