Manuela com sindicalistas na campanha presidencial de 2018. Foto: Adonis Guerra, Sindicato dos Metalúrgicos de SorocabaCrédito: Adonis Guerra
Manuela com sindicalistas na campanha presidencial de 2018
As Centrais Sindicais CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, CGTB, Conlutas, Pública, Intersindical e Intersindical Instrumento de Luta, manifestam apoio e solidariedade à companheira, ex-deputada federal e ativista, Manuela D'Ávila.
 
Na última quarta-feira, 2/6, Manuela relatou em suas redes sociais que sua filha de apenas cinco anos está sofrendo ameaças de estupro e que ela mesma está sofrendo ameaças de morte.
 
Trata-se de um caso repulsivo praticado por criminosos que devem ser investigados e punidos conforme a lei. 
 
Um caso que revela uma cultura de misoginia, ódio, perversidade e violência que infelizmente persiste em segmentos da nossa sociedade e que pavimentou a grave situação política que vivemos no Brasil atualmente. 
 
Cabe a todos e todas, homens, mulheres de todas as raças, credos e orientação sexual, garantir e construir um ambiente de convivência respeitosa e saudável em nosso país. Neste sentido, nós sindicalistas, manifestamos, em nome da ex-deputada Manuela D’Ávila, total e absoluto repúdio a situações que constrangem, ameaçam e aterrorizam mulheres e crianças. 
 
#ForçaManu! Punição aos criminosos!
 
São Paulo, 4 de junho de 2021
 
Sérgio Nobre, presidente da Central Única dos Trabalhadores – CUT
Miguel Eduardo Torres, presidente da Força Sindical – FS
Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores – UGT
Adilson Gonçalves de Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB
Antônio Neto, presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB
José Reginaldo Inácio, presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST
Ubiraci Dantas Oliveira, presidente da CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil
Atnágoras Lopes, Secretaria Executiva Nacional da CSP – Conlutas
Edson Carneiro Índio, Intersindical – Central da Classe Trabalhadora
Emanuel Melato, Coordenação da Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora
José Gozze, presidente – Pública Central do Servidor
 
Manuela com sindicalistas na campanha presidencial de 2018. Foto: Adonis Guerra, Sindicato dos Metalúrgicos de SorocabaCrédito: Adonis Guerra
Manuela com sindicalistas na campanha presidencial de 2018
As Centrais Sindicais CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, CGTB, Conlutas, Pública, Intersindical e Intersindical Instrumento de Luta, manifestam apoio e solidariedade à companheira, ex-deputada federal e ativista, Manuela D'Ávila.
 
Na última quarta-feira, 2/6, Manuela relatou em suas redes sociais que sua filha de apenas cinco anos está sofrendo ameaças de estupro e que ela mesma está sofrendo ameaças de morte.
 
Trata-se de um caso repulsivo praticado por criminosos que devem ser investigados e punidos conforme a lei. 
 
Um caso que revela uma cultura de misoginia, ódio, perversidade e violência que infelizmente persiste em segmentos da nossa sociedade e que pavimentou a grave situação política que vivemos no Brasil atualmente. 
 
Cabe a todos e todas, homens, mulheres de todas as raças, credos e orientação sexual, garantir e construir um ambiente de convivência respeitosa e saudável em nosso país. Neste sentido, nós sindicalistas, manifestamos, em nome da ex-deputada Manuela D’Ávila, total e absoluto repúdio a situações que constrangem, ameaçam e aterrorizam mulheres e crianças. 
 
#ForçaManu! Punição aos criminosos!
 
São Paulo, 4 de junho de 2021
 
Sérgio Nobre, presidente da Central Única dos Trabalhadores – CUT
Miguel Eduardo Torres, presidente da Força Sindical – FS
Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores – UGT
Adilson Gonçalves de Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB
Antônio Neto, presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB
José Reginaldo Inácio, presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST
Ubiraci Dantas Oliveira, presidente da CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil
Atnágoras Lopes, Secretaria Executiva Nacional da CSP – Conlutas
Edson Carneiro Índio, Intersindical – Central da Classe Trabalhadora
Emanuel Melato, Coordenação da Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora
José Gozze, presidente – Pública Central do Servidor