"Este é o momento de pressionar o setor patronal para que os trabalhadores possam recuperar as perdas salariais", diz Serginho, presidente da Fequimfar
reunião fequimfar

Com o objetivo de fortalecer a Campanha Salarial e Social do setor, nesta tarde, dirigentes da FEQUIMFAR e dos Sindicatos filiados que representam os trabalhadores nas usinas e destilarias que produzem etanol no estado de São Paulo estiveram reunidos e fizeram um balanço das negociações em cada região.

“Estamos negociando a esta Campanha num cenário em que usinas estão batendo recordes na produção e as vendas de etanol estão em alta, já superando as do início da pandemia. Tudo isso deve contribuir incisivamente na conquista de reajustes significativos para os trabalhadores do setor”, destaca Edson Dias Bicalho, secretário geral da FEQUIMFAR e presidente do Sindicato dos Químicos de Bauru e Região.Daniel Ferrer, do DIEESE, apresentou um panorama do setor e mostrou como os índices salariais do setor estão distribuídos em todo o estado.

serginho

“Este é o momento de pressionar o setor patronal representado pela UNICA (União das Indústrias de Cana-de-Açúcar) para que os trabalhadores possam recuperar as perdas salariais. Nossas reivindicações estão considerando toda a atual conjuntura de aumento na produção e vendas. Não vamos abrir mão do reajuste salarial, no Piso e PLR”, afirma Sergio Luiz Leite, Serginho.

 

Principais reivindicações da categoria:

  • Reajuste: 2% de aumento real + INPC/IBGE
  • Piso (Salário Normativo): R$ 1.944,86
  • Piso para Técnico Químico: R$ 3.585,91
  • PLR: 2 Salários Normativos
  • Abono de horas para vacinação dos trabalhadores
reunião fequimfar

Com o objetivo de fortalecer a Campanha Salarial e Social do setor, nesta tarde, dirigentes da FEQUIMFAR e dos Sindicatos filiados que representam os trabalhadores nas usinas e destilarias que produzem etanol no estado de São Paulo estiveram reunidos e fizeram um balanço das negociações em cada região.

“Estamos negociando a esta Campanha num cenário em que usinas estão batendo recordes na produção e as vendas de etanol estão em alta, já superando as do início da pandemia. Tudo isso deve contribuir incisivamente na conquista de reajustes significativos para os trabalhadores do setor”, destaca Edson Dias Bicalho, secretário geral da FEQUIMFAR e presidente do Sindicato dos Químicos de Bauru e Região.Daniel Ferrer, do DIEESE, apresentou um panorama do setor e mostrou como os índices salariais do setor estão distribuídos em todo o estado.

serginho

“Este é o momento de pressionar o setor patronal representado pela UNICA (União das Indústrias de Cana-de-Açúcar) para que os trabalhadores possam recuperar as perdas salariais. Nossas reivindicações estão considerando toda a atual conjuntura de aumento na produção e vendas. Não vamos abrir mão do reajuste salarial, no Piso e PLR”, afirma Sergio Luiz Leite, Serginho.

 

Principais reivindicações da categoria:

  • Reajuste: 2% de aumento real + INPC/IBGE
  • Piso (Salário Normativo): R$ 1.944,86
  • Piso para Técnico Químico: R$ 3.585,91
  • PLR: 2 Salários Normativos
  • Abono de horas para vacinação dos trabalhadores