A pedido do presidente do Sindest, Fábio Pimentel, a prefeitura de Santos antecipará a segunda parcela do 13º salário do funcionalismo, equivalente a R$ 40 milhões, do dia 20 para o dia 6 de dezembro. 
 
O prefeito Rogério Santos (PSDB) anunciou a medida, na tarde de sexta-feira (10), em reunião com Fábio e outros diretores do sindicato dos 11 mil servidores estatutários e 7 mil aposentados da prefeitura e câmara.
 
Acompanhado pelo secretário de governo Fábio Ferraz, o chefe do executivo assegurou o início das negociações para o “aumento salarial” da categoria na data-base de fevereiro.
 
Planos de cargos e salários
 
Rogério Santos destacou também a “importância de começar a conversa sobre os planos de cargos e salários” dos diversos segmentos do funcionalismo.
 
“Temos avançado no diálogo sobre o plano de cargos e salários da guarda municipal e de outras categorias”, disse o prefeito no encontro com os sindicalistas e Mauro Souza, assessor do vereador Adilson Júnior (PP).
 
Fábio Pimentel ressaltou que o início das negociações salariais, na próxima semana, “começou bem, com esta conversa, e com a boa notícia sobre o 13º salário”.
 
Bons resultados
 
O prefeito, por sua vez, disse que “trabalhar junto com o sindicato significa respeitar os servidores. A campanha terá bons resultados. A prefeitura e os servidores prestam bons serviços à população”.
 
Rogério disse que consultou o secretário de finanças e gestão, Adriano Leocádio, para decidir sobre a antecipação da segunda parcela do 13º salário.
 
A reunião foi articulada por Adilson Júnior. O pessoal reivindica reajuste de 5,40%, 3% não pagos entre 2019 e 2024, aumento de 10%, vale-refeição de R$ 1.050 e cesta-básica de R$ 800.
A pedido do presidente do Sindest, Fábio Pimentel, a prefeitura de Santos antecipará a segunda parcela do 13º salário do funcionalismo, equivalente a R$ 40 milhões, do dia 20 para o dia 6 de dezembro. 
 
O prefeito Rogério Santos (PSDB) anunciou a medida, na tarde de sexta-feira (10), em reunião com Fábio e outros diretores do sindicato dos 11 mil servidores estatutários e 7 mil aposentados da prefeitura e câmara.
 
Acompanhado pelo secretário de governo Fábio Ferraz, o chefe do executivo assegurou o início das negociações para o “aumento salarial” da categoria na data-base de fevereiro.
 
Planos de cargos e salários
 
Rogério Santos destacou também a “importância de começar a conversa sobre os planos de cargos e salários” dos diversos segmentos do funcionalismo.
 
“Temos avançado no diálogo sobre o plano de cargos e salários da guarda municipal e de outras categorias”, disse o prefeito no encontro com os sindicalistas e Mauro Souza, assessor do vereador Adilson Júnior (PP).
 
Fábio Pimentel ressaltou que o início das negociações salariais, na próxima semana, “começou bem, com esta conversa, e com a boa notícia sobre o 13º salário”.
 
Bons resultados
 
O prefeito, por sua vez, disse que “trabalhar junto com o sindicato significa respeitar os servidores. A campanha terá bons resultados. A prefeitura e os servidores prestam bons serviços à população”.
 
Rogério disse que consultou o secretário de finanças e gestão, Adriano Leocádio, para decidir sobre a antecipação da segunda parcela do 13º salário.
 
A reunião foi articulada por Adilson Júnior. O pessoal reivindica reajuste de 5,40%, 3% não pagos entre 2019 e 2024, aumento de 10%, vale-refeição de R$ 1.050 e cesta-básica de R$ 800.