Força Sindical celebra o Dia Internacional das MulheresCrédito: Arquivo Força
da esq para dir Alsira Maria da Silva Lima, diretora do Sindicato dos Metalúrgicos SP; Maria Auxiliadora dos Santos, secretária Nacional de Políticas para as Mulheres da Força; Miguel Torres, presidente da Força Sindical; Eunice Cabral, vice-presidente da Força Sindical; Danilo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical/SP e Neuza Barbosa, vice-presidente da Fetiasp

Com os temas “Transversalidade de Gênero” e “90 anos do Voto Feminino no Brasil”, o evento aconteceu de forma híbrida e teve a participação de dirigentes sindicais homens e mulheres de todo o país. Os assuntos foram abordados por Maria Angélica Lourenço e Camila Ikuta, do DIEESE.

Maria Auxiliadora, secretária Nacional de Políticas para as Mulheres da Força Sindical, defendeu que as mulheres precisam cada vez mais ocupar seus espaços em todos os setores da sociedade. "É inadmissível que um parlamentar, eleito pelo voto, inclusive de mulheres, passe impune diante das afirmações que fez sobre as mulheres ucranianas", disse Auxiliadora sobre o deputado estadual (Podemos-SP) Arthur do Val, o "Mamãe falei, que em viagem a Ucrania disse que as mulheres daquele país "eram fáceis porque eram pobres", entre outros absurdos.

Miguel Torres, presidente da Força Sindical, lembrou que as conquistas que as companheiras tiveram ao longo dos anos foram alcançadas através de muita luta. "Falta muito ainda para alcançarmos a igualdade entre homens e mulheres e só conseguiremos com muita luta e unidade.”
 
Danilo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical São Paulo, destacou a importância da Convenção 190 da OIT na luta pelo fim da violência contra a mulher.
 
Em sua fala, Laura Santos, coordenadora do Departamento da Mulher da FEQUIMFAR, secretária de Políticas para Mulheres da Força Sindical São Paulo e diretora do Sindicato dos Químicos de Itapetininga e Região, também destacou a importância das mulheres participarem do cenário político e aproveitarem a chance de fazer a diferença neste processo eleitoral de 2022 que é decisivo para a classe trabalhadora e o povo brasileiro.
 

Na oportunidade, algumas lideranças sindicais foram homenageadas com o Prêmio Nair Goulart, entre elas, Miguel Torres que é também presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Sergio Luiz Leite, o Serginho, presidente da Federação dos Químicos e vice-presidente da Força Sindical.

Torres falou sobre a importância de incentivar e fortalecer as candidaturas de mulheres para avançar na representação das companheiras no cenário político.

Serginho recebeu o Prêmio por todo o seu trabalho junto à Federação dos Químicos e Sindicatos filiados na luta pelas mulheres trabalhadoras, pela igualdade, equidade, por mais direitos e conquistas.
 
“O prêmio tem como objetivo, além de reverenciar a memória da grande guerreira e lutadora que foi Nair Goulart, reconhecer, valorizar e incentivar o trabalho de instituições, entidades e pessoas que se destacaram com programas, projetos, ações e contribuições”, explica Maria Auxiliadora dos Santos, secretária de Políticas para Mulheres e Gênero da Força Sindical.
 
com informações da Fequimfar
 

VEJA MAIS FOTOS NO FLICKR DA FORÇA SINDICAL

Força Sindical celebra o Dia Internacional das MulheresCrédito: Arquivo Força
da esq para dir Alsira Maria da Silva Lima, diretora do Sindicato dos Metalúrgicos SP; Maria Auxiliadora dos Santos, secretária Nacional de Políticas para as Mulheres da Força; Miguel Torres, presidente da Força Sindical; Eunice Cabral, vice-presidente da Força Sindical; Danilo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical/SP e Neuza Barbosa, vice-presidente da Fetiasp

Com os temas “Transversalidade de Gênero” e “90 anos do Voto Feminino no Brasil”, o evento aconteceu de forma híbrida e teve a participação de dirigentes sindicais homens e mulheres de todo o país. Os assuntos foram abordados por Maria Angélica Lourenço e Camila Ikuta, do DIEESE.

Maria Auxiliadora, secretária Nacional de Políticas para as Mulheres da Força Sindical, defendeu que as mulheres precisam cada vez mais ocupar seus espaços em todos os setores da sociedade. "É inadmissível que um parlamentar, eleito pelo voto, inclusive de mulheres, passe impune diante das afirmações que fez sobre as mulheres ucranianas", disse Auxiliadora sobre o deputado estadual (Podemos-SP) Arthur do Val, o "Mamãe falei, que em viagem a Ucrania disse que as mulheres daquele país "eram fáceis porque eram pobres", entre outros absurdos.

Miguel Torres, presidente da Força Sindical, lembrou que as conquistas que as companheiras tiveram ao longo dos anos foram alcançadas através de muita luta. "Falta muito ainda para alcançarmos a igualdade entre homens e mulheres e só conseguiremos com muita luta e unidade.”
 
Danilo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical São Paulo, destacou a importância da Convenção 190 da OIT na luta pelo fim da violência contra a mulher.
 
Em sua fala, Laura Santos, coordenadora do Departamento da Mulher da FEQUIMFAR, secretária de Políticas para Mulheres da Força Sindical São Paulo e diretora do Sindicato dos Químicos de Itapetininga e Região, também destacou a importância das mulheres participarem do cenário político e aproveitarem a chance de fazer a diferença neste processo eleitoral de 2022 que é decisivo para a classe trabalhadora e o povo brasileiro.
 

Na oportunidade, algumas lideranças sindicais foram homenageadas com o Prêmio Nair Goulart, entre elas, Miguel Torres que é também presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Sergio Luiz Leite, o Serginho, presidente da Federação dos Químicos e vice-presidente da Força Sindical.

Torres falou sobre a importância de incentivar e fortalecer as candidaturas de mulheres para avançar na representação das companheiras no cenário político.

Serginho recebeu o Prêmio por todo o seu trabalho junto à Federação dos Químicos e Sindicatos filiados na luta pelas mulheres trabalhadoras, pela igualdade, equidade, por mais direitos e conquistas.
 
“O prêmio tem como objetivo, além de reverenciar a memória da grande guerreira e lutadora que foi Nair Goulart, reconhecer, valorizar e incentivar o trabalho de instituições, entidades e pessoas que se destacaram com programas, projetos, ações e contribuições”, explica Maria Auxiliadora dos Santos, secretária de Políticas para Mulheres e Gênero da Força Sindical.
 
com informações da Fequimfar
 

VEJA MAIS FOTOS NO FLICKR DA FORÇA SINDICAL