UC Berkeley/Redes sociais/Stanford UniversityCrédito: UC Berkeley/Redes sociais/Stanford University
Divulgado hoje (11) os ganhadores do prêmio Nobel de Economia. Os pesquisadores David Card, Joshua D. Angrist e Guido W. Imbens foram os ganhadores.
 
Eles foram premiados pelo uso de experimentos naturais (situações da vida real para calcular seus impactos no mundo) para entender as relações de causa e efeito em áreas do mercado de trabalho e educação. As pesquisas revolucionaram os estudos em outras áreas pelo mundo.
 
David Card em sua pesquisa estudou os efeitos do salário mínimo, da migração e da educação no mercado de trabalho. 
 
Por meio dos seus experimentos naturais realizados na década 90, Card percebeu que o aumento do salário mínimo não causa a redução de empregos. Na educação descobriu que os recursos das escolas são muito mais importantes para o futuro do mercado de trabalho dos alunos do que se pensava e por fim, que os salários de pessoas que nasceram em um país pode ser melhor do que dos imigrantes que tiveram que sair do seu país para outro.
 
Joshua D. Angrist e Guido W. Imbens usaram metodologia para entender o efeito de um ano a mais nas escolas para os estudantes.
 
Segundo a Real Academia de Ciências da Suécia, “os economistas revolucionaram a pesquisa empírica nas ciências sociais e melhoraram significativamente a capacidade da comunidade de pesquisa de responder a perguntas de grande importância".
 
“Os estudos de Card sobre questões centrais para a sociedade e as contribuições metodológicas de Angrist e Imbens mostraram que experimentos naturais são uma rica fonte de conhecimento. A pesquisa deles melhorou substancialmente nossa capacidade de responder às principais questões causais, o que foi de grande benefício para a sociedade ”, disse Peter Fredriksson, presidente do Comitê do Prêmio de Ciências Econômicas.
UC Berkeley/Redes sociais/Stanford UniversityCrédito: UC Berkeley/Redes sociais/Stanford University
Divulgado hoje (11) os ganhadores do prêmio Nobel de Economia. Os pesquisadores David Card, Joshua D. Angrist e Guido W. Imbens foram os ganhadores.
 
Eles foram premiados pelo uso de experimentos naturais (situações da vida real para calcular seus impactos no mundo) para entender as relações de causa e efeito em áreas do mercado de trabalho e educação. As pesquisas revolucionaram os estudos em outras áreas pelo mundo.
 
David Card em sua pesquisa estudou os efeitos do salário mínimo, da migração e da educação no mercado de trabalho. 
 
Por meio dos seus experimentos naturais realizados na década 90, Card percebeu que o aumento do salário mínimo não causa a redução de empregos. Na educação descobriu que os recursos das escolas são muito mais importantes para o futuro do mercado de trabalho dos alunos do que se pensava e por fim, que os salários de pessoas que nasceram em um país pode ser melhor do que dos imigrantes que tiveram que sair do seu país para outro.
 
Joshua D. Angrist e Guido W. Imbens usaram metodologia para entender o efeito de um ano a mais nas escolas para os estudantes.
 
Segundo a Real Academia de Ciências da Suécia, “os economistas revolucionaram a pesquisa empírica nas ciências sociais e melhoraram significativamente a capacidade da comunidade de pesquisa de responder a perguntas de grande importância".
 
“Os estudos de Card sobre questões centrais para a sociedade e as contribuições metodológicas de Angrist e Imbens mostraram que experimentos naturais são uma rica fonte de conhecimento. A pesquisa deles melhorou substancialmente nossa capacidade de responder às principais questões causais, o que foi de grande benefício para a sociedade ”, disse Peter Fredriksson, presidente do Comitê do Prêmio de Ciências Econômicas.